Palestra com Fabio Nienow

Fabio Nienow é Ilustrador e infografista e ontem palestrou sobre design editorial e gráfico, especificamente sobre infografia. Formado em Publicidade e Propaganda e pós graduado em Produção Multimídia, trabalha como ilustrador e infografista nos jornais da RBS desde 1999. Atualmente é Editor de Arte do Diário Catarinense, em Florianópolis. Segue um resumão da palestra de ontem (04/06/2014), com os tópico mais relevantes. Os exemplos de infográficos legais que ele mostrou durante a palestra encontram-se (a maior parte) no blog dele.

Design gráfico não é só melhorar a estética, é melhorar a estrutura
– Alberto Cairo

A palestra começa com a importância da visualização de dados, visto que estamos numa era de excesso de informações, excesso de dados. Daí a importância de entender  e interpretar todas essas informações (infografia).

A infografia também serve para solenizar e mostrar força (de um jornal, de uma empresa, whatever).

A visão de quem trabalha com textos e a visão de quem trabalha com gráfico é bem diferente, por isso é sempre bom que quem vai fazer a parte gráfica esteja junto nas coberturas, fotografando, anotando, se inserindo (ficando a par do assunto). Na sequencia, seria interessante fazer um storyboard de todas informações coletadas para nortear sua criação.

Quanto mais gráfico, mais didático; Mais didática a forma para conduzir a informação.

O que é infografia

Explicação visual (gráfica). Para isso se utiliza vários recursos. Comparação de dados, ilustrações, proporções, organizar informações. Se não ajuda na compreensão, não é infografia. Infografia não é arte e não precisa ser ilustrador para fazer infográficos.

É importante haver simbiose entre imagem e texto. Um exemplo bem sucedido disso tudo: SOAP apresentações.

Design de informação

Para criar um infográfico, é preciso saber entender e interpretar a informação. A infografia é utilizada principalmente quando só o texto não resolve.  Alguns exemplos de aplicação de infografia: ensino, livros, manuais, publicidade, etc.

Tipos de Infografia/infográficos

  • Breaking News (informações de última hora que precisam ir para a rede “instantaneamente”)
  • Enciclopédicos
  • Visualização de dados
  • Cartografia

O poder da visualização das informações (e um pouco da história da infografia)

Com exemplos dos primeiros infográficos que se tem conhecimento, foi mostrado  o mapa da cólera (de 1854) para exemplificar a importância da visualização de dados. Também como exemplo foi mostrada a comparação dos mapas do metrô de Londres de 1910 e de 1933 (por Harry C. Beck). Como forma alternativa aos textos para interpretar informações, William Playfair criou o primeiro “gráfico” em 1786, se baseando na mesma lógica dos mapas (latitude versus longitude/eixo X versus eixo Y). Napoleão Bonaparte se utilizava da infografia para traçar rotas e estratégias rabiscando sobre os mapas, a fim de ter uma visualização melhor de seu planejamento. Pra isso (melhor visualização dos dados e informações) precisa  tirar o que não é relevante, a fim de limpar e simplificar e deixar apenas as informações mais importantes.

Isso por ser lido também no artigo sobre infografia na famosíssima e querida sobrinha da barsa: Wikipédia.

Por que ser mais visual

  • é a natureza humana
  • imprensa ajudou a separar
  • concorrência da mídia
  • o que o leitor vê
  • pontos a observar

Quanto mais “picotada”  a informação, mais fácil de entender. Seja em tópicos ou pequenos blocos de texto. É preferível várias entradas de texto (textos menores) à uma só.

Uma pesquisa americana mostrou o que chama mais atenção dos leitores (tentei encontrar essa pesquisa pra colocar o link , mas não encontrei):

80% infográficos
75% fotos
56% Títulos
52% Anúncios
31% Notas
29% Legenda
25% texto

Aqui tem um PDF que também aborda esse assunto (página 26).

Erros mais comuns

Números e comparações: é preciso cuidado com as proporções para não induzir a erro. Exemplos:  isso, e a matéria da Veja, que afirmou que ficou pior com a lei seca, apresentando apenas esse gráfico sem levar em consideração outras variáveis (como o boom da classe C e aumento da venda de carros. Mais carros, mais acidentes. Com gráficos sobre o número de mortes a cada x número de carros, têm-se que esse número diminuiu nos últimos anos, por exemplo). Ainda foi citado o exemplo da propaganda do Pré-Sal.

Design de visualização

 Simplicidade consiste em subtrair o óbvio e acrescentar o significativo.
– John  Maeda, Leis da simplicidade

Simplicidade, não simplório!  É importante organizar e ter o projeto gráfico como base. Evite usar muitas cores; distribua as informações de forma equilibrada, pois o cérebro sempre tenta achar ordem e sentido.

Regras de Design  Gráfico

  • Estrutura -ordem-harmonia-equilíbrio
  • Unidade-variedade-hierarquia
  • Grids
  • Cores e fontes
  • Estrutura das informações

Cores quentes ajudam a fazer a narrativa, definir o caminho, guiar o olhar, definir o foco.  Cores frias para coisas secundárias.

Considerações finais

Não precisa saber desenhar; É importante planejar, pensar, apurar  informações e saber o que tem que mostrar; Deve haver conexão entre imagens e textos.

Dicas: http://infogr.am/https://mapsengine.google.com/map/http://timeline.knightlab.com/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s