3 formas de engajar a sua empresa na economia colaborativa

Segundo o estudo “The sharing economy” da Price Waterhouse Coopers, uma das maiores consultorias de negócios do mundo, somente os cinco principais setores da economia colaborativa – hospedagem, mobilidade, finanças, musica, TV e video streaming e mão de obra online – podem gerar um faturamento global por volta de  $335 bilhões de dólares em 2025.

Para que não restem mais dúvidas sobre a importância deste fenômeno, mais a frente afirmam: “Independente de como a sua empresa se pareça, a economia colaborativa é uma oportunidade grande demais para se perder – ou um risco muito grande para não se mitigar”
Seguem algumas formas da sua empresa se engajar nesta nova realidade:

1) Parcerias empresas tradicionais e colaborativas: este talvez seja o caminho mais rápido e simples, é o caso da parceria entre a Telsa, uma fabricante de veículos elétricos da economia “tradicional”, com o Airbnb, o maior site de reservas de acomodações, de pessoas para pessoas, no mundo.
A Tesla buscou a solução de um dos problemas para o mercado de veículos elétricos, a baixa capilaridade de postos de abastecimento, na grande cobertura do Airbnb:   “Juntos, estamos construindo um mundo sem limites para o quão longe você pode viajar e como chegar lá. De desertos remotos para florestas exuberantes , nós estamos desbloqueando estradas, estradas secundárias , aventuras e hospedagens exclusivas”.

2) Adaptação da lógica tradicional à colaborativa: Algumas vezes por oportunidade, outras por necessidade de sobrevivência, algumas empresas com raízes sólidas na economia tradicional estão se adaptando para a lógica colaborativa. Um bom exemplo é a Home Depot, maior empresa de material de construção, decoração e ferramentas do mundo. Fundada em 1978, a empresa passou a oferecer este ano o serviço de aluguel de ferramentas como alternativa à compra.
Uma enorme quebra de paradigma, transformando a oferta de um produto que comercializa há décadas, em um serviço. Esta nova tendência de servitização vem caminhado a largos passos junto à economia colaborativa, visto que o consumidor hoje prioriza muitas vezes o acesso à posse de determinados bens e serviços. Principalmente aqueles de alto valor e baixa utilização;

3) Inserção da economia colaborativa na cadeia de valor: A inovação tem sido fortemente impulsionada por ferramentas colaborativas como o Quirky, que já é um importante canal de inovação para a GE por exemplo. Outro bom exemplo é a parceria da Hasbro, importante fabricante global de brinquedos, com o site Indiegogo para lançar um novo jogo “face a face”.
Interessado em saber como a economia colaborativa pode impulsionar seus negócios? Siga a Colmeia em nossas redes sociais ou agende uma visita para conversarmos sobre oportunidades.

Fonte: Colmeia

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s